sobre alforjes e poemas

quando eu falei que na loja daríamos desconto para quem trouxesse um poema, eu imaginei duas situações:
– ninguém vai me trazer poema coisa nenhuma;
– alguém talvez traga um fernando pessoa impresso, daqueles copiado e colado. e tudo bem.
mas antes mesmo que loja abrisse as portas, ora veja: me chega um poema todo feito sob medida pra alforjaria.

me emocionei. segue o primeiro poema que a alforjaria ganhou:

“Confesso:
Não sabia o que era alforjaria.
A Priscila me explicou,
Mal sabia o quanto me inspiraria.
____<>____
Quero um, quero dois, quero mais
Que um mundo melhor
Onde rodar os meus pedais.
____<>____
Vou assistir o pôr-do-sol,
sentar no chão,
enrolar meus cabelos caracol.
____<>____
Quero a coragem do Lampião
E uma bolsa com embornais
Vou sempre dizer não
Pros que se querem desiguais”.
____<>____

posso ser metida? os meus clientes são os mais legais.

me permitem uma rima? eu quero é mais.

e esse negocinho aqui: ___<>___ é pra separar as estrofes,  porque o worpress tá mandando tudo junto. e se tem estrofes, eu quero que vcs também possam vê-las como tais.

 

Anúncios

Um comentário sobre “sobre alforjes e poemas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s